sexta-feira, 11 de setembro de 2009

rabisco mudo



.


Gritei. Por medo. Por dor. Por nada.
Grito redondo, gordo, insensato.

E vazia. Talvez te chamasse
Fossem desmedidos meus dias

Não tivesse calculado,
Previsto, desenhado
O minuto a minuto.

Tudo.

Confunde-me a sobra que se arrasta
No silêncio

Não há desvario.
Minha confusão
não tem voz.

Preciso
só o rabisco mudo
do teu nome
na memória.

Sortilégio burlando e
invadindo meu dia.

Um comentário:

  1. "não há desvario, minha confusão não tem voz"...putz....isso é óotimo!

    ResponderExcluir