segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Um Dia Bom


The Kiss by Princess K8

O dia estava quente. Caminhei lentamente pela rua; flutuava em nuvens. A mente em viagem na imensidão azul pálida de um céu denso pela estiagem de dias. O banho refrescara minha pele morna e aos poucos os fios secos do cabelo recém lavado alçavam voos momentâneos em uma brisa musical. Música, aliás, não faltava em meu bailado. Cada esquina um novo ritmo, cada som uma canção.

Pássaros voavam próximos ao vislumbrarem minha imagem do alto, na tentativa de conseguir alegrar minha caminhada. As flores estavam mais coloridas, as primaveras mais deslumbrantes, sua copa roxa, rosa e branca convidavam à contemplação de um dia calmo e vívido. Rosas se empertigavam nos arames, amores-perfeitos se apertavam a fim de serem notados. Girassóis esqueciam o sol e giravam-se em minha direção, margaridas e violetas cantavam canções de alegria.

Os transeuntes me cumprimentavam, as crianças riam para mim. Um adolescente de bicicleta abriu um largo sorriso de verão e uma senhora cantarolou ao som de um bem-te-vi.

As janelas das casinhas pintadas, da rua próxima, estavam mais coloridas e em algumas delas via-se mulheres sorridentes ou crianças brincalhonas. As roupas dos varais bailavam com um vento bom, fresco e festeiro. As vacas no pasto ao longe, pareciam ensaiar um coro animado e o menino tocador da boiada rodopiava com o cavalo, alegre, matreiro.

Sorri ao perceber que havia uma brisa suave e diferente refrescando-me constantemente o corpo, seguindo-me pelo caminho de pedregulhos com florzinhas brancas às margens. Balancei os cabelos visualizando as altas copas de algumas palmeiras da praça do coreto, alegres e altivas que me convidavam a alçar voos mais altos.

Suspirei profundamente sentindo o ar morno alcançar os pulmões e o coração encheu-se de ternura quando a mente lembrou uma coisa boa. Ria-me sozinha com músicas de amor acompanhando minha marcha. Todas as pessoas pareciam mais felizes, mais alegres e mais bonitas.

Parei no portão do meu trabalho lembrando o que havia me motivado a sair de casa naquela manhã. Suspirei. Eu não tinha dúvidas, encontrava-me apaixonada.

2 comentários:

  1. Cris, passei por aqui e li você. Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Nossa Paulinho, rs... vão-se os amores e ficam os textos...rs.
    Beijo!!!
    Aline (aqui jaz uma Cris...)

    ResponderExcluir